INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE DIÓXIDO DE CARBONO (CO2) GERADAS POR FONTES MÓVEIS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE – PERÍODO DE JANEIRO DE 2003 A JUNHO DE 2004

Rafael Freire de Macêdo

Resumo


A elevada contribuição de fontes móveis para o aumento das concentrações de dióxido de carbono na atmosfera torna-se fator de estudo. O estado do Rio Grande do Norte apresenta
um alto índice de motorização, cerca de 35 veículos por cada 100 habitantes, portanto, um elevado consumo de combustíveis derivados do petróleo. Estatísticas apontam que 97% das emissões veiculares são de CO2, comprovando a preocupação de se realizar inventários destas. A método top-down, reconhecido internacionalmente e recomendado pela ONU, foi seguido para a quantificação de gases de efeito estufa emitidos pela combustão de combustíveis fósseis em motores de veículos rodoviários, comprovando os altos teores de poluentes atmosféricos lançados na atmosfera do estado. A poluição atmosférica afeta a saúde ambiental bem como a estética urbana, acarretando perdas econômicas. A
substituição do modal de transporte particular pelo coletivo e a adoção de novas tecnologias trarão ganhos ambientais além de impulsionar novas matrizes energéticas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2004.35



 

HOLOS IN THE WORLD