PROJETO DE CORREIAS TRANSPORTADORAS: UM ESTUDO COMPUTACIONAL DE COMPARAÇÃO DOS MÉTODOS CEMA E PRÁTICO

Ricardo Amâncio Malagoni, Dyrney Araújo dos Santos

Resumo


Para o projeto de correias transportadoras, são comumente empregados dois métodos: Método Prático e Método CEMA (Conveyor Equipment Manufacture Association). O Método Prático, mais simplificado, aplica-se a transportadores simples e de pequena capacidade. Neste, calcula-se primeiramente a potência necessária para o transporte e, a partir desta, as tensões na correia. O método CEMA, mais sofisticado, é aplicável a transportadores de vários lances, curtos ou longos, onde calcula-se inicialmente as tensões em cada lance da correia, e, após isto, calcula-se a potência de acionamento. Com isto, um dos objetivos do presente trabalho foi a criação de um programa computacional, o qual realiza o projeto de correias transportadoras através dos métodos Prático e CEMA. Por meio deste programa, foram realizadas simulações para os materiais: rocha fosfática e minério de ferro (itabiritos) para diferentes configurações de correias transportadoras. Como dados de saída do programa, tem-se as seguintes especificações de projeto: largura da correia, distância do material à borda da correia, capacidade mássica, velocidade da correia e potência do motor. Tanto o Método Prático quanto o Método CEMA se mostraram de suma importância para o projeto de correias transportadoras, sendo o primeiro de grande valia na estimativa inicial de um projeto, enquanto o outro, apesar da maior complexidade, é o mais recomendado para o projeto final de correias transportadoras.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRIANOV, I. V., HORSSEN, W. T. On the transversal vibrations of a conveyor belt: applicability of simplified models, Journal of Sound and Vibration, v. 313, p. 822–829, 2008.

CHEN, X.L., WHEELER, C.A., DONOHUE, T.J., MCLEAN, R., ROBERTS, A.W. Evaluation of dust emissions from conveyor transfer chutes using experimental and CFD simulation, International Journal of Mineral Processing, v. 110, p. 101-108, 2012.

FÁBRICA DE AÇO PAULISTA S. A. Manual de transportadores contínuos. 3ª edição. 300 p. Brasil. 1981.

FEDORKO, G., IVANCO, V. Analysis of force ratios in conveyor belt of classic belt conveyor, Procedia Engineering, v. 48, p. 123 – 128, 2012.

FEDORKO, G., MOLNÁR, V., Z IVCÁK, J., DOVICA, M., HUSÁKOVÁ, N. Failure analysis of textile rubber conveyor belt damaged by dynamic wear, Engineering Failure Analysis, v. 28, p. 103-114, 2013.

SWINDERMAN, R.T. CEMA (Conveyor Equipment Manufacturers Association) - Belt Conveyors for Bulk Materials, Chaners Publishing Company, Inc. 6 th edition, p. 567, 2007.

VANAMANE, S.S., MANE, P. A., INAMDAR K.H. Introduction to belt conveyor system used for cooling of mould, National Conference on Recent Advances in Manufacturing Engineering and Technology, Hyderabad, p. 104-108, 2011.

YOU, -F. H., QING, -R. M. Dynamic characteristics of conveyor belts, J. China Univ Mining & Technol, v. 18, p. 0629–0633, 2008.

ZANOELO, E.F., ABITANTE, A., MELEIRO, L.A.C. Dynamic modeling and feedback control for conveyors-belt dryers of mate leaves, Journal of Food Engineering, v. 84, p. 458–468, 2008.

ZHANG, S., XIA, X. Modeling and energy efficiency optimization of belt conveyors, Applied Energy, v. 88, p. 3061–3071, 2011.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2014.1780



 

HOLOS IN THE WORLD