O SEMIÁRIDO COMO TEMA GERADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA PELA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO POPULAR

Autores

  • Gabriela de Souza Araújo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)
  • Maria Luíza Gomes de Araújo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)
  • Lucas Matheus dos Santos Medeiros Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)
  • Monalisa Porto Araújo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

DOI:

https://doi.org/10.15628/geoconexes.2023.15760

Palavras-chave:

Semiárido, Unidade de Teste e Demonstração, educação popular, Tecnologias sociais, Licenciatura em Química

Resumo

Neste artigo foi realizada uma pesquisa de cunho qualitativo (GIL, 2019) através da análise bibliográfica e documental, refletindo durante o desenvolvimento da prática profissional na disciplina do curso de Licenciatura em Química: Seminário de Orientação ao Desenvolvimento de Práticas Educativas e Formação Docente II, em que fomos provocados a inserir o tema da educação e conivência com o Semiárido no Ensino de Ciências, mediante a construção da metodologia de Unidade de Teste e Demonstração - UTD (RAMOS; SILVA; BARROS, 2013), implementando um espaço de paisagismo funcional escolar com horta coletiva e plantas medicinais do Semiárido e caatinga. Consideramos para análise do tema exposto, o Projeto Pedagógico do Curso (PPC) da Licenciatura em Química (IFRN, 2018) e o Projeto Político Pedagógico da referida instituição (IFRN, 2012), como também, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Esse trabalho tem como objetivo analisar o tema Semiárido no percurso formativo docente e suas possíveis relações com o ensino das Ciências da Natureza, tendo em vista que é possível articular conhecimentos adquiridos no decorrer da formação acadêmica para construir respostas locais aos problemas de convivência com o Semiárido. Como resultados, vimos a ausência da preocupação com o tema na formação de professores que o IFRN concretiza e as possibilidades vislumbradas na integração do tema nas disciplinas de prática profissional do mencionado curso.

Biografia do Autor

Gabriela de Souza Araújo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

Licencianda em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) - campus Currais Novos.

Maria Luíza Gomes de Araújo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

Licencianda em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) - campus Currais Novos.

Lucas Matheus dos Santos Medeiros, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

Licencianda em Química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) - campus Currais Novos.

Monalisa Porto Araújo, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN)

Possui graduação em Pedagogia, área de habilitação em Educação de Jovens e Adultos, pela Universidade Federal da Paraíba - UFPB (2008). Mestre em Educação pela UFPB (2011). Doutoranda em Educação pela UFPB. Participou de projetos de Educação de Jovens e Adultos do Campo (PRONERA; PROJOVEM CAMPO) e de Ensino Fundamental da Rede Municipal de João Pessoa e da Construção de uma Proposta Curricular do 2º segmento da EJA do município de João Pessoa. Tem atuação na docência no Ensino Superior nos cursos de Pedagogia e na Especialização em Educação Integral e Direitos Humanos da UFPB. Atualmente, integra o quadro de Docentes dos cursos de Licenciatura do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN).

Referências

AMORIM, H. C.; ANDRADE, F. M. C.; SILVA, M. G. Tecnologias sociais e agroecologia: análise das propostas metodológicas no ensino das ciências da natureza no cursinho popular Tecendo Sonhos. Revista Cocar, Belém, v. 17, n. 35, p. 1-16, 2022. Disponível em: https://periodicos.uepa.br/index.php/cocar/article/view/4798. Acesso em: 16 de março de 2023.

ARAÚJO, M. P. O Programa Mais Educação e o fortalecimento da identidade da escola popular do campo. 2020. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2020.

ARCANJO JUNIOR, M. G. A.; GEHLEN S. T. A tecnologia social e sua contribuição para a educação em ciências. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Rio de Janeiro, v. 20, n. u, p. 345-374, 2020. Disponível em: https://peiodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/18873/16755. Acesso em: 16 de março. 2023.

BARRADAS, C. A. A. Adubação Verde. Niterói-RJ: Editora Rio Rural, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

CAPORAL, R. F.; COSTABEBER, J. A. Agroecologia: enfoque científico e estratégico para apoiar o desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: EMATER/RS, 2002. Disponível em: http://coral.ufsm.br/desenvolvimentorural/textos/31.pdf. Acesso em: 07 de fev. 2023.

CAVALVANTI, A. C. S. et al. Projeto de intervenção: horta na escola - plantando sementes para a educação ambiental. Santa Inês/BA: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, 2015. Disponível em: https://www.ifbaiano.edu.br/unidades/santaines/files/2016/03/Projeto-Horta-escolar-PAPA-2015.pdf. Acesso em: 13 de março de 2023.

CHASSOT, A. Ensino de ciências no começo da segunda metade do século da tecnologia. In: LOPES, A.; MACEDO, E. (org.). Currículo de ciências em debate. Campinas, SP: Papirus, 2004.

DELIZOICOV, D. A educação em ciências e a perspectiva de Paulo Freire. In: PERNAMBUCO, M. M; PAIVA, I. A. Práticas coletivas na escola. Campinas, SP: Mercado de Letras; Natal, RN: UFRN, 2013.

DESRAVINES, R. P. et al. Produção otimizada de feijão-caupi imaturo sob adubação verde em ambiente semiárido. Revista Caatinga, Mossoró, v. 35, n. 3, p. 606-617, jul./set., 2022.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

_______. Educação como prática de liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

GADOTTI, M. Educação popular, educação social, educação comunitária: conceitos e práticas diversas, cimentadas por uma causa comum. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA SOCIAL, 4., 2012, São Paulo. Proceedings online […] Associação Brasileira de Educadores Sociais. Disponível em: http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000092012000200013&lng=en&nrm=abn. Acesso em: 14 Mar. 2023.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

IFRN. Projeto pedagógico do curso superior de licenciatura em química presencial. Natal: IFRN, 2018.

IFRN. Projeto Político Pedagógico. Natal: IFRN, 2012.

LINHARES, P. C. F. et al. Adubação verde com flor-de-seda {Calotropis procera (Aiton) W. T. Aiton} em culturas olerícolas na região semiárida. Nova Xavantina, MT: Ed. Pantanal, 2022. Disponível em: https://editorapantanal.com.br/ebooks/2022/adubacao-verde-com-flor-de-seda-calotropis-procera-aiton-w-t-aiton-em-culturas-olericolas-na-regiao-semiarida/Cap1.pdf. Acesso em: 10 de março de 2023.

MARENGO, J. A. et al. Variabilidade e mudanças climáticas no semiárido brasileiro. In: MEDEIROS, S. S.; GHEYI, H. R.; GALVÃO, C. O.; PAZ, V. P. S. (ed.). Recursos hídricos em regiões áridas e semiáridas. Campina Grande/PB: Instituto Nacional do Semiárido, 2011. Disponível em: http://plutao.dpi.inpe.br/col/dpi.inpe.br/plutao/2011/09.22.18.52.30/doc/Marengo_Variabilidade.pdf. Acesso em: 16 de março de 2023.

RAMOS, L. G.; SILVA, G. P. A.; BARROS, F. A. A. Manual de metodologia de extensão rural. Pernambuco: Editora Instituto Agronômico de Pernambuco - IPA, 2013.

SANTOS, B. M. C. et al. Construindo saberes para educação contextualizada: desenvolvimento sustentável e convivência com o semiárido. 1. ed. Feira de Santana: Gráfica JB Ltda, 2011.

SANTOS, B. Um discurso sobre as ciências. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

Downloads

Publicado

21-11-2023

Como Citar

ARAÚJO, Gabriela de Souza; ARAÚJO, Maria Luíza Gomes de; MEDEIROS, Lucas Matheus dos Santos; ARAÚJO, Monalisa Porto. O SEMIÁRIDO COMO TEMA GERADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA PELA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO POPULAR. Geoconexões, [S. l.], v. 2, n. 16, p. 166–180, 2023. DOI: 10.15628/geoconexes.2023.15760. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/geoconexoes/article/view/15760. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

NÚMERO ESPECIAL: Educação Popular e suas interfaces com a ressignificação do ensino e da aprendizagem