EXPERIÊNCIA EXITOSA NO CAMPO DO ENSINO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E DA ORTOGRAFIA - BINGO DE SÍLABAS E PALAVRAS

Autores

  • Paulo Henrique Vieira de Macedo Universidade do Vale do Taquari (Univates)
  • Adriano Edo Neuenfeldt Universidade do Vale do Taquari (Univates)
  • Rogério José Schuck Universidade do Vale do Taquari (Univates)
  • Derli Juliano Neuenfeldt Universidade do Vale do Taquari (Univates)

DOI:

https://doi.org/10.15628/geoconexes.2023.15737

Palavras-chave:

bingo, ensino e aprendizagem, brincadeira

Resumo

A implementação de projetos na escola envolvendo a regionalidade ampliam as possibilidades de ensino e aprendizagem no âmbito do sistema de escrita alfabética e ortográfica dos estudantes no Ensino Fundamental, isso foi percebido com a implementação do Projeto Trilhos da Alfabetização. O objetivo é destacar a experiência exitosa envolvendo o uso do bingo de sílabas e palavras para estudantes do 1º Ano do Ensino Fundamental de forma lúdica e criativa numa escola maranhense. A metodologia partiu de uma abordagem qualitativa, com o público de duas turmas do 1º Ano do Ensino Fundamental, com média de 22 estudantes na faixa etária de seis anos de idade. Foram realizadas quatro etapas, a saber: a primeira tratou da organização da lógica do bingo. Em seguida, foi utilizado um aplicativo na internet para a produção de 25 cartelas do bingo. A terceira etapa foi a prática, que iniciou com a distribuição das cartelas para que os estudantes realizassem o desenvolvimento do jogo. Ao final, ocorreu a apreciação das crianças tentando decifrar em parceria com seus pares de classe as sílabas e palavras. A produção do bingo de sílabas e palavras foi planejada com foco na diversão pertinente ao jogo, pois além do jogar, observam-se olhares, participação e ajuda recíproca entre os pares. Outro ponto marcante foi a agitação exercitada durante o envolvimento das crianças, que apesar de alguns erros, avançavam tirando dúvidas com o professor e outros colegas a fim de alcançar sua meta particular motivada pelo jogo.

Biografia do Autor

Paulo Henrique Vieira de Macedo, Universidade do Vale do Taquari (Univates)

Graduado em Enfermagem Bacharelado (2012) e Licenciatura em Filosofia (2015) pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Pedagogia Segunda Graduação - Universidade Católica de Brasília - UCB (2021). Mestre em Ensino (Univates) . Doutorando em Ensino pelo Programa de Pós-Graduação Stricto sensu em Ensino (PPGENSINO) da Universidade do Vale do Taquari (Univates).

Adriano Edo Neuenfeldt, Universidade do Vale do Taquari (Univates)

Formação acadêmica: Possui doutorado em Ensino pela Univates/RS (2020); mestrado em Educação pela UFSM/RS (2006); especialização em Tecnologias da Comunicação e da Informação Aplicadas à Educação pela UFSM/RS (2011); graduação em Matemática Licenciatura Plena pela UFSM/RS (2002) e bacharelado em Desenho e Plástica pela UFSM/RS (2003). Experiência profissional: Professor substituto durante dois períodos (2004-2005 e 2007-2008) na Universidade Federal de Santa Maria vinculado ao Departamento de Metodologia de Ensino, do Centro de Educação, ministrando disciplinas para os cursos de Pedagogia, Educação Especial e Licenciatura em Matemática. Também atuou como professor da Educação Básica na rede pública e privada de ensino. Esteve vinculado a UAB - Curso de Pedagogia Ead (UFSM), como professor pesquisador e conteudista no Curso de Pedagogia (2009-2010). De 2011 a 2018 esteve vinculado ao Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas da UNIVATES (CETEC ? UNIVATES/RS), de Lajeado-RS, desenvolvendo disciplinas direcionadas às Ciências Exatas, como Cálculo, Métodos Numéricos, Álgebra, Pesquisa Operacional, Raciocínio Lógico, dentre outras, além de disciplinas em cursos Ead. Atualmente encontra-se sem vínculo empregatício. Temas de pesquisa e de interesse: Planejamentos de materiais que envolvem o Ensino a Distância, (com experiência desde 2005), incluindo o tema de pesquisa de doutorado, que oportuniza compreender vídeos como Objetos Digitais de Ensino e de Aprendizagem Potencialmente Significativos (ODEAPSs). Além disso, com ênfase na Matemática e Educação, a partir do mestrado, numa perspectiva interdisciplinar, procura elementos que aproximem a literatura infantil e a matemática, o que oportuniza a realização de oficinas pedagógicas e a publicação de livros infantis.

Rogério José Schuck, Universidade do Vale do Taquari (Univates)

Possui graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Nossa Senhora da Imaculada Conceição (1992), Mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1999) e Doutorado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2007). Atualmente é Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ensino - PPGENSINO da Univates, atuando também junto ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas - PPGECE.

Derli Juliano Neuenfeldt, Universidade do Vale do Taquari (Univates)

Possui graduação em Educação Física - Licenciatura pela Universidade Federal de Santa Maria (1997), especialização em Pedagogia do Esporte (1997) pela Universidade Federal do Paraná, especialização em Gestão Universitária (2013) pela Universidade do Vale do Taquari - Univates, Mestrado em Ciência do Movimento Humano pela Universidade Federal de Santa Maria (2000) e Doutorado em Ciências: Ambiente e Desenvolvimento (2016) pela Universidade do Vale do Taquari - Univates. Foi coordenador do Curso de Educação Física - Bacharelado da Univates (2008-2011) e coordenador do Curso de Educação Física - Licenciatura da Univates (2008-2019). Atualmente, é professor titular da Universidade do Vale do Taquari - Univates, atuando nos Cursos de Educação Física Licenciatura e Bacharelado e no Programa de Pós-graduação em Ensino. Tem experiência na área de Educação Física Escolar atuando principalmente nos seguintes temas: educação física escolar, formação de professores, educação ambiental, ensino e TDICs.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Departamento de Educação Infantil e Ensino Fundamental. Ensino fundamental de nove anos: orientações para a inclusão da criança de seis anos de idade. Brasília: FNDE, Estação Gráfica, 2006. Disponível em: https://midiasstoragesec.blob.core.windows.net/001/2017/02/6crmec.pdf. Acesso em: 20 abr. 2023.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/#fundamental. Acesso em: 07 de fevereiro de 2023.

CARLOS LUCKESI, Cipriano. Ensinar, brincar e aprender. APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação, Vitória da Conquista, v. 2, n. 15, p. 131-136, 2017. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/2466. Acesso em: 31 jan. 2023.

DE CARVALHO, Anna Maria Pessoa. et al. Ciências no ensino fundamental: o conhecimento físico. São Paulo: Scipione, 1998. (Pensamento e ação no magistério).

DE OLIVEIRA, Zilma Ramos. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2002. (Coleção Docência em Formação).

DINELLO, Raimundo Angel. Expressão lúdico criativa. Uberaba: Universidade de Uberaba, 1997.

DOS SANTOS, Bettina Steren. Vygotsky e a teoria histórico-cultural. In: LA ROSA, Jorge (org.) Psicologia e educação: o significado do aprender. 7. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2003.

FERREIRO, Emília; TEBEROSKY, Ana. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1999.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo (org.). Métodos de pesquisa. Porto Alegre/RS: Editora da UFRGS, 2009.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. (org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 2017.

LEAL, Telma Ferraz. Fazendo acontecer: o ensino da escrita alfabética na escola. In: MORAIS, Artur Gomes; ALBUQUERQUE, Eliana Borges Correia; LEAL, Telma Ferraz. Alfabetização: apropriação do sistema de escrita alfabética. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 89-110.

LEÃO, Marjorie Agre. O uso de jogos como mediadores da alfabetização/letramento em sala de apoio das séries iniciais. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 44, n. 2, p. 647-656, maio-ago. 2015.

MEDEIROS, Bianca.; MACEDO, Fábio. Fundação Vale Relatório de Atividades 2021. [s.d.]. Disponível em: https://www.fundacaovale.org/wp-content/uploads/2022/05/Fundacao_Vale_RA2021.pdf. Acesso em: 20 jan. 2023.

MORAES, Roque. Mergulhos discursivos: análise textual qualitativa entendida como processo integrado de aprender, comunicar e interferir em discursos. In: GALIAZZI, Maria do Carmo; FREITAS, José Vicente. Metodologias emergentes de pesquisa em Educação Ambiental. Ijuí: Unijuí, 2007. p. 85-114.

MORAIS, Artur Gomes de. Sistema de escrita alfabética. São Paulo: Editora Melhoramentos, 2012.

SMOLE, Kátia Cristina Stocco. A matemática na educação infantil: a teoria das inteligências múltiplas na prática escolar. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

SOARES, Magda. Alfaletrar: toda criança pode aprender a ler e a escrever. São Paulo: Contexto, 2020.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2003. (Coleção temas básicos de pesquisa-ação).

THIOLLENT, Michel. A inserção da pesquisa-ação no contexto da extensão universitária. In: BRANDÃO, Carlos Rodrigues; STRECK, Danilo Romeu (org.). Pesquisa participante: o saber da partilha. 2. ed. Aparecida, SP: Ideias Et. Letras, 2006. p. 151–165.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

Downloads

Publicado

21-11-2023

Como Citar

MACEDO, Paulo Henrique Vieira de; NEUENFELDT, Adriano Edo; SCHUCK, Rogério José; NEUENFELDT, Derli Juliano. EXPERIÊNCIA EXITOSA NO CAMPO DO ENSINO DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA E DA ORTOGRAFIA - BINGO DE SÍLABAS E PALAVRAS. Geoconexões, [S. l.], v. 2, n. 16, p. 76–91, 2023. DOI: 10.15628/geoconexes.2023.15737. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/geoconexoes/article/view/15737. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

NÚMERO ESPECIAL: Educação Popular e suas interfaces com a ressignificação do ensino e da aprendizagem