A CERÂMICA VERMELHA E OS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS EM UMA CIDADE NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE

Autores

  • Sanclair Solon de Medeiros Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.15628/geoconexoes.2020.6149

Palavras-chave:

Indústria Ceramista, Meio Ambiente, Processos Produtivos.

Resumo

presente trabalho foi concebido com o objetivo de discutir sobre o processo produtivo da indústria de cerâmica vermelha e os impactos socioambientais decorrentes desse processo no município de Currais Novos com vistas a traçar uma relação entre meio ambiente, economia e impactos socioambientais. A metodologia utilizada consistiu de levantamento bibliográfico e aplicação de entrevistas estruturadas com proprietários e funcionários. Para definir o número de entrevistados utilizou-se o critério de saturação, pois consiste em determinar a realização de entrevistas até o momento em que não se obtenham dados novos que possam acrescentar discussões ao tema. Por fim, são apresentados os resultados que identificam os impactos socioambientais das cerâmicas citando as emissões atmosféricas, resíduos sólidos, baixa renda dos funcionários, equipamentos de segurança inadequados, doenças de ordem respiratória entre outros. São ainda sugeridas medidas para minimização destes impactos como forma de tornar a Indústria de Cerâmica Vermelha no município mais sustentável.

Biografia do Autor

Sanclair Solon de Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduado em Gestão Ambiental pelo IFRN, MBA em Gestão e Perícia pela Faculdade de Natal e Mestrando em Meio Ambiente e Desenvolvimento pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Referências

ANDRADE, Manuel Correia de. O minério de tungstênio no nordeste do Brasil. Mossoró: FUNDAJ/CNPQ, 1990.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS: NBR 14001: sistemas de gestão ambiental - especificação e diretrizes para uso. Rio de janeiro: 2004.

BERTAUX, Daniel. L’approche biografique: as validité méthodologique, ses potentialités. Caries Internationaux de Sociologie, V. LXIX, p. 45-67. 1980.

BOUTH, Jorge Alberto Cardoso. Manual de operações básicas na indústria de cerâmica vermelha. Natal: Fastgraf, 2008.

BRASIL. Resolução CONAMA 001, de 23 de janeiro de 1986. Dispõe sobre as diretrizes gerais para uso e implementação da Avaliação de Impacto Ambiental como um dos instrumentos da Política Nacional do Meio Ambiente. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF 17 fev 1986.

BRASIL. Resolução CONAMA 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF 17 mar 2005.

CARSON, R. Silent spring. Greenwich: Fawcett, 1962.

CARVALHO, O. de C; LEITE, J. Y. P; REGO, J. M. do. Perfil industrial da cerâmica vermelha no Rio Grande do Norte: uma síntese. Natal: FIERN/SENAI, 2001.

COSTA, Rafael Fonseca da. Aspectos e impactos ambientais da cerâmica Nossa Senhora das Vitórias em Carnaúba dos Dantas/RN. Monografia- Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E DEFESA DO MEIO AMBIENTE. Perfil do município: Currais Novos, 2007. Rio Grande do Norte. Disponível em: . Acesso em 10 fev. 2010.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da metodologia científica. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica. 5 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MONTEIRO, Denise Mattos. Terra e trabalho na história: estudos sobre o Rio Grande do Norte. Natal: UFRN, 2007.

MOURA, Luiz Antônio Abdalla de. Qualidade e gestão ambiental. 5 ed. São Paulo: Juarez de Oliveira, 2008.

NASCIMENTO, Waldécio Sávio dos Anjos do. Avaliação dos impactos ambientais gerador por uma indústria cerâmica típica da Região do Seridó/RN. Dissertação (Mestrado em Engenharia Mecânica)- Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em . Acesso em: 15 mar. 2010.

PIMENTA, Handson Cláudio Dias; GOUVINHAS, Reidson Pereira. Ferramentas de gestão ambiental. Natal: CEFET/RN, 2008.

SILVA, Valdenildo Pedro da. Impactos ambientais da expansão da cerâmica vermelha em Carnaúba dos Dantas/RN. Revista Holos, Natal, ano. 23, v. 3, p. 96-112, dez. 2010. Disponível em: < http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/viewFile/133/121>. Acesso em: 7 mar. 2010.

SOUZA, Joabel Rodrigues da. Totoró, berço de Currais Novos. Natal: UFRN, 2008.

SUDENE. Conservação de energia no setor industrial: cerâmica vermelha estrutural. Recife: Sudene, 1988.

WATHERN, P. Avaliação de impacto ambiental: teoria e prática. Unwin Hyman: Londres, 1988.

ONU,1997, Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos e da Amazônia Legal, 1997. 89p.

Downloads

Publicado

02-12-2020

Como Citar

DE MEDEIROS, S. S. A CERÂMICA VERMELHA E OS IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS EM UMA CIDADE NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE. Geoconexões, [S. l.], v. 1, p. 2–18, 2020. DOI: 10.15628/geoconexoes.2020.6149. Disponível em: https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/geoconexoes/article/view/6149. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos