A VIOLÊNCIA URBANA E A SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA NOS ESPAÇOS PÚBLICOS DE LAZER DAS CIDADES CONTEMPORÂNEAS

Dália Maria Maia Cavalcanti de Lima

Resumo


Este trabalho objetivou acrescentar algumas reflexões às já elaboradas durante a construção de uma tese de Doutorado na UFRN em 2006, acerca dos espaços públicos de lazer. As cidades passaram por grandes transformações no decorrer da história, sendo no espaço urbano onde o tempo se materializa a partir das ações desenvolvidas pelos seus habitantes, de acordo com as condições econômicas, ambientais e políticas existentes. No texto, evidenciamos os seguintes aspectos das cidades contemporâneas: a segregação socioespacial, as desigualdades na distribuição da infraestrutura urbana e a falta de democratização do uso do solo urbano, além de fatores visíveis e invisíveis que impregna no espaço público e influenciam os citadinos. Diante dessas considerações, constatamos que é necessário refletir sobre os diversos tipos de privação e as possibilidades de distribuição dos bens materiais e culturais para todos, por intermédio da solidariedade em detrimento de ações que incentivem a competição, que é geradora de conflitos.

Palavras-chave


Violência Urbana; Insegurança; Espaços Públicos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. 10. Ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

BAUMAN, Zygmunt. Confiança e medo na cidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

ELALI, Gleice Azambuja. Psicologia e Arquitetura: em busca do locus interdisciplinar. Dossiê Psicologia Ambiental, Estudos de Psicologia Ambiental, 1997.

GAZZANIGA, M. S.; HEATHEARTON, T. F. Ciência Psicológica: Mente. Cérebro e comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2005.

GOMES, Rita de Cássia, SILVA, GOMES, Rita de C.C. (Org.). Globalização e desigualdade. Natal: A.S., 2002.

LEFEBVRE, Henry. O direito à cidade. Tradução Rubens Eduardo Frias. 2. Ed. São Paulo: Centauro, 2001.

LIMA, Dália Maria Maia Cavalcanti de. O espaço de todos, cada um no seu lugar: o uso dos espaços públicos destinados ao lazer em Natal. Natal, RN, 2006.

PELUSO, Marília L. O potencial das representações sociais para a compreensão interdisciplinar da realidade: Geografia e Psicologia Ambiental. Estud. psicol. (Natal)vol.8 no.2 Natal May/Aug. 2003.

PINHEIRO, J. Q. (2003). Psicologia Ambiental brasileira no início do século XXI. Sustentável? In O. H. Yamamoto & V. V. Gouveia (Orgs.), Construindo a psicologia brasileira. São Paulo: Casa do Psicólogo.

RODRIGUES, Adyr Balastreri. Lazer e espaço na cidade pós-industrial. In: Licere, Belo Horizonte, v.5, n.1, p. 149-164, 2002.

SANTINI, Rita de Cássia Giraldi. Dimensão do lazer e da recreação: questões espaciais, sociais e psicológicas. São Paulo: Angelotti, 1993.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 3 ed. São Paulo: Hucitec, 1999.

SANTOS, Luciana Oliveira dos. O medo contemporâneo: abordando suas diferentes dimensões. Psicol. Cienc. Prof. v.23, n.2 Brasília jun, 2003.

SPINK, Mary Jane P., MEDEIROS, Benedito e MELLO, Ricardo Pimentel. Perigo, Probabilidade e Oportunidade: A Linguagem dos Riscos na Mídia. Psicol. Reflex. Crit.Vol.15 no.1. Porto Alegre 2002.

THIBAUD, J.P. (2004). O ambiente sensorial das cidades: para uma abordagem de ambiências urbanas. In E.T. Tassara (Orgs.). Psicologia e ambiente. SP: EDUC.347-361.

TUAN, Yi-F. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. SP: DIFEL, 1980.

YÁZIGI, Eduardo. O mundo das calçadas: por uma política de espaços públicos em São Paulo. Tese (Livre-Docência) - USP, Departamento de Geografia, São Paulo, 1997.




DOI: https://doi.org/10.15628/geoconexoes.2015.3692

Apontamentos

  • Não há apontamentos.