A produção da viscosidade do território: uma análise sobre o sistema de transporte do estado do Rio Grande do Norte

Anderson Araújo Rocha

Resumo


A densidade viária (fluidez efetiva) e infoviária (fluidez virtual) indicam a capacidade de circulação no território. Em países de grande extensão territorial, a concentração da infraestrutura do sistema viário e sua tecnificação geram diferenciação de áreas, dotando certos subespaços de maior fluidez de mercadorias, pessoas e capitais do que outros. Assim, se a fluidez territorial é produzida, então também a viscosidade territorial resulta de intencionalidades sobre o território. Assim, a proposta deste estudo é de analisar a densidade e tecnificação dos principais modais de transportes presentes no estado do Rio Grande do Norte. A base metodológica desse estudo segue a proposta da Confederação Nacional dos Transportes (CNT). Aponta-se um quadro de precariedade dos sistemas de transporte do estado e da escassez de integração entre eles, reforçando assim a viscosidade do território potiguar.


Palavras-chave


Sistema de Transporte, Circulação; Rio Grande do Norte

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15628/geoconexoes.2019.3515

Apontamentos

  • Não há apontamentos.