A HISTÓRIA DA LOUCURA NUMA PERSPECTIVA MARXISTA

Autores

  • BRUNO P. CARVALHO UFMS
  • HELEN DA C. T. PIZA

DOI:

https://doi.org/10.15628/dialektike.2016.5549

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo reinterpretar a “História da loucura”, de Michel Foucault – obra que versa sobre a gênese da loucura como doença mental, das instituições psiquiátricas e da psiquiatria – a partir da teoria social de Marx. Motiva a realização desta pesquisa a ausência de trabalhos desde a perspectiva do marxismo sobre o objeto tomado por Foucault. Os resultados da pesquisa em tela estão organizados em quatro momentos: a) inicialmente, analisa-se a concepção foucaultiana de história, indispensável ao entendimento dos períodos históricos analisados por Foucault; b) posteriormente, são destacados os períodos nomeados por Foucault como “A grande internação” (século XVII) e “O nascimento do asilo” (século XVIII); c) num terceiro momento, as considerações de Robert Castel sobre a história do alienismo à luz da problemática da “questão social” são tomadas em conta como um avanço em relação à análise foucaultiana; d) por fim, a leitura marxiana a respeito da “assim chamada acumulação primitiva” é tomada como chave interpretativa para colocar em perspectiva os fundamentos históricos e econômicos que se encontram na base das transformações apresentadas por Foucault e da própria “questão social”, expressão que surge como resposta burguesa ao pauperismo e tomada por Castel como chave explicativa do alienismo.

Biografia do Autor

BRUNO P. CARVALHO, UFMS

Doutor em Psicologia Social pela PUC-SP

HELEN DA C. T. PIZA

Estudante do Grupo de Pesquisas Marxismo e Psicologia.

Referências

CASTEL, R. A ordem psiquiátrica: A idade de ouro do alienismo. [1977]. Rio de Janeiro: Graal, 1991.

CASTEL, R. As metamorfoses da Questão Social: uma crônica dos salários. [1995]. Petropólis: Vozes, 2012.

FOUCAULT, M. Entrevista com Michel Foucault. [1968]. In: MOTTA, M. B. (Org.). Arte, Epistemologia, Filosofia e História da Medicina: Ditos & Escritos VII. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

______. A ordem do discurso: aula inaugural na Collège de France. [1970]. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

______. História da Loucura na Idade Clássica. [1972]. São Paulo: Perspectiva, 2012.

______. Vigiar e punir: nascimento da prisão. [1975]. Petrópolis: Vozes, 2013.

______. Microfísica do poder. [1979]. Rio de Janeiro: Graal, 2005.

______. As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. [1981]. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

______. O que são as luzes? [1984]. In: MOTTA, M. B. (Org.). Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento: Ditos & Escritos II. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.

MACHADO, R. Introdução: Por uma genealogia do poder. [1979]. In: FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2005.

MARX, K.; ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. [1848]. São Paulo: Boitempo, 2005.

______. O Capital: Crítica da Economia Política. Livro 1, v. 2. [1867]. São Paulo: Civilização Brasileira, 2006.

NETTO, J.P. Cinco Notas a propósito da “Questão Social”. Temporalis, Brasília, n. 3. 2001.

RODRIGUES, Mavi. Michel Foucault sem espelhos: um pensador proto pós-moderno. Tese de Doutorado. Rio de Janeiro: UFRJ/ESS, 2006.

Downloads

Publicado

2016-06-13

Edição

Seção

Artigos