O CONHECIMENTO EM HUME E CARNAP: CONVERGÊNCIAS E APROXIMAÇÕES

Autores

  • JOSÉ APARECIDO PEREIRA

DOI:

https://doi.org/10.15628/dialektike.2016.5343

Resumo

Fazer uma abordagem na qual sejam estabelecidas aproximações e convergências entre filosofia empirista de David Hume e a epistemologia de Carnap constitui-se como o objetivo fundamental desse artigo. No decorrer desse estudo veremos que os pontos mais convergentes entre ambos se encontram em relação à postura antimetafísica que perpassa as suas doutrinas. Hume não é favorável ao conhecimento puramente especulativo, justamente porque esse parece não se coadunar com aquilo que ele denomina de relações de idéias e relações de fato. Por sua vez, Carnap pretende, aos moldes de Hume, uma eliminação radical da metafísica do âmbito da ciência, utilizando-se de um instrumental poderoso: a análise lógica da linguagem, com a qual acreditava dar uma nova resposta à questão da validade e justificação da metafísica. Fazer uma abordagem na qual sejam estabelecidas aproximações e convergências entre filosofia empirista de David Hume e a epistemologia de Carnap constitui-se como o objetivo fundamental desse artigo. No decorrer desse estudo veremos que os pontos mais convergentes entre ambos se encontram em relação à postura antimetafísica que perpassa as suas doutrinas. Hume não é favorável ao conhecimento puramente especulativo, justamente porque esse parece não se coadunar com aquilo que ele denomina de relações de idéias e relações de fato. Por sua vez, Carnap pretende, aos moldes de Hume, uma eliminação radical da metafísica do âmbito da ciência, utilizando-se de um instrumental poderoso: a análise lógica da linguagem, com a qual acreditava dar uma nova resposta à questão da validade e justificação da metafísica.

Referências

BOMBASSARO. L. C. As Fronteiras da Epistemologia: uma introdução ao problema da racionalidade e da historicidade do conhecimento. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1992.

CARNAP, R. La Superación de la Metafísica Mediante el Análisis Lógico del Lenguaje. In: AYER, A. J. (org.) El Positivismo Lógico. México: Fondo de Cultura Econômica, 1965.

HESSEN, J. Teoria do Conhecimento. Trad. Dr. Antônio Correia 7a ed. Coimbra-Portugal: Armênio Amado Editor, 1980.

HUME, David. Investigação Sobre o Entendimento Humano. Trad. de Artur Morão. Lisboa: Edições 70, 1989, p. 31

______. Tratado da Natureza Humana. Trad. Déborah Danowski. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

KANT. I. Crítica da razão pura. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2013NOONAN. Harold W. Hume: On Knowledge. London and New York: Routledge. 1999.

SCHLICK, M & CARNAP, R. Seleção de Pablo Rubén Mariconda. Trad. Luiz João Baraúna, Pablo Rubén Mariconda. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

WITTGENSTEIN, Ludwing. Tractatus Lógico-Philosophicus. São Paulo: EDUSP, 2001

Downloads

Publicado

2016-12-13

Edição

Seção

Artigos