O SIGNIFICADO DO TRABALHO PARA OS ARTESÃOS DA REGIÃO DO CARIRI CEARENSE

Rebeca da Rocha Grangeiro, Antonio Virgílio Bittencourt Bastos

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar como artesãos significam o trabalho que realizam. Para coleta de dados, utilizamos versão reduzida do instrumento de pesquisa construído pela equipe Meaning of Work International Research Team – MOW – durante os anos 1980, traduzido e validado no Brasil por Soares (1992). Conforme orientação do modelo teórico adotado, o significado do trabalho é analisado a partir de três dimensões: centralidade do trabalho, normas sociais do trabalho e resultados e objetivos valorizados do trabalho. A partir da realização de análises estatísticas descritivas examinamos o comportamento da amostra de artesãos investigados frente às dimensões que integram o modelo de significado do trabalho da equipe MOW (1987). Adicionalmente, operamos a comparação entre médias de quatro perfis de artesãos, para as dimensões citadas. A média de centralidade absoluta do trabalho para os artesãos é alta e não foi observada diferença relevante entre as médias dos quatro perfis analisados. Quanto à centralidade relativa, o trabalho obteve segunda maior média. Os artesãos do Cariri cearense apresentaram uma adesão levemente superior às normas de direitos quando comparadas às normas de deveres. No exame da dimensão resultados esperados do trabalho, encontramos diferenças entre as médias dos quatro perfis e na ordem dos resultados mais valorizados.


Palavras-chave


Significado do trabalho, trabalho artesanal, centralidade do trabalho, direitos e deveres do trabalho, resultados esperados do trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


Aguiar, C. V. N. (2016). Interfaces entre o trabalho e a família e os vínculos organizacionais: Explorando a tríade família-trabalho-organização. Tese de Doutorado. Universidade Federal da Bahia, Bahia.

Araújo, I. M. (2006). Os Novos Espaços Produtivos: Relações sociais e vida econômica no Cariri cearense, 2006. Tese de Doutorado em Sociologia. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza.

Bastos, A. V. B.; Aguiar, C. V. N. (2015). Centralidade do Trabalho e Conflito Trabalho-Família: comparando trabalhadores urbanos e rurais. In: Batos, A. C., Moreira, L., Petrini, G., Alcântra, M. (2015). Família no Brasil: recurso para a pessoa e para a sociedade. Curitiba: Editora Juruá.

Bastos, A. V. B.; Pinho, A. P. M.; Costa, C. A. (1995). Significado do trabalho: um estudo entre trabalhadores inseridos em organizações formais. Revista de Administração de Empresas, 35 (6), 20-29.

Bendassolli, P. F. (2009). Psicologia e trabalho. Apropriações e significados. São Paulo: Cengage Learning.

Bendassolli, P. F., Alves, J. S. C., & Torres, C. C. (2014). Inventário sobre significado do trabalho de profissionais de indústrias criativas. Avaliação Psicológica, 13(2), 177-186.

Bendassolli, P. F. & Borges-Andrade, J. E. (2015b). Escala do Trabalho com Sentimento (EST). In: Puente-Palacios, K.; Peixoto, A. L. A. (2015). Ferramentas de diagnóstico para organizações e trabalho. Um olhar a partir da psicologia. Porto Alegre: Artmed.

Bendassolli, P. F. & Borges-Andrade, J. E. (2015a). Meaning, Meaningfulness, and Tensions in Artistic Work. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 15(1): 71-81

Bendassolli, P. F. & Borges-Andrade, J. E. (2011). Significado do trabalho nas indústrias criativas. Revista de Administração de Empresas [online], 51 (2): 143-159.

Borges, L. O. (1999). A estrutura factorial dos atributos valorativos e descritivos do trabalho: um estudo empírico de aperfeiçoamento e validação de um questionário. Estudos de Psicologia. Natal, 4 (1): 107-139.

Borges, L. O. (1997). Os atributos e a medida do significado do trabalho. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 13 (2), 211-221.

Borges, L. O., Barros, S. C. (2015). Inventário de significado do trabalho para trabalhadores de baixa instrução. Puente-Palacios, K., Peixoto, A. L. A. (2015). Ferramentas de diagnóstico para organizações e trabalho. Um olhar a partir da psicologia. Porto Alegre: Artmed.

Borges, L. de O.; Pinheiro, J. Q. (2002). Estratégias de coleta de dados com trabalhadores de baixa escolaridade. Estudos de Psicologia, 7(número especial): 53-63.

Borges, L. O.; Tamayo, A. (2001). A estrutura cognitiva do trabalho. Revista Psicologia Organização e Trabalho, 1 (2): 11-44.

Borges, L. O.; Tamayo, A.; Alves-Filho, A. (2005). A. Significado do trabalho entre os profissionais de saúde. In: Borges, L. O. (Org.). Os profissionais de saúde e seu trabalho. São Paulo: Casa do Psicólogo, p. 143-223.

Borges, L. O. & Yamamoto, O. H. (2010). O significado do trabalho para psicólogos brasileiros. In: Bastos, A. V. B. & Gondim, S. M. G. (Orgs). O trabalho do psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed.

Grangeiro, R. R. (2015). O trabalho do artesão do Cariri cearense: sua história, práticas e significados da atividade profissional. Tese de Doutorado. Universidade Federal da Bahia, Bahia.

Kubo, S. H., Gouvêa, M. A.; Mantovani, D. M. N. (2013). Dimensões do significado do trabalho e suas relações. Revista Pretexto, 14 (3), 28-28.

Meaning of Work International Research Team – MOW . (1987). The meaning of working. London: Academic Press.

Rodrigues, A. C. de A.; Bastos, A. V. B. (2012). Entrincheiramento organizacional: construção e validação da escala. Psicologia: Reflexão e Crítica, 25 (4), 688-700.

Rogelberg, S. G.; Church, A. H.; Waclawski, J.; Stanton, J. M. (2004). Organizational Survey Research. In: Rogelberg, S. G. (2004). Handbook of Research Methods in Industrial and Organizational Psychology. Blackwell Publishing. Blackwell Reference Online. 09 May 2014 https://www-blackwellreference-com.frodon.univ-paris5.fr/subscriber/tocnode.html?id=g9781405127004_chunk_g97814051270049

Soares, C. R. V. (1992). Significado do trabalho: um estudo comparativo de categorias ocupacionais. Dissertação de mestrado. Universidade de Brasília.

Tolfo, S. R. (2015). Significados e sentidos do trabalho. In: Bendassolli, P. F.; Borges Andrade, J. E. (2015). Dicionário de psicologia do trabalho e das organizações. São Paulo: Casa do psicólogo.

Vale, C. do; Silva Jr, J. T. (2012). Catálogo de artesanato caririense: Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha e Caririaçu. Juazeiro do Norte: BSG – Bureau de Serviços Gráficos. (Série editorial LIEGS).




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2018.6256



 

HOLOS IN THE WORLD