A COMPREENSÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO ATRAVÉS DA VIVÊNCIA EM UMA AULA DE CAMPO: RELATO DE EXPERIÊNCIA COM OS DISCENTES DA ESCOLA ESTADUAL FERREIRA ITAJUBÁ

Mário Jorge Ferreira da Silva

Resumo


O presente resumo traz como foco a importância da vivência do trabalho de campo como recurso didático dentro da concepção e entendimento do espaço geográfico. Nesse sentido, possibilita a interação entre os conhecimentos teóricos e práticos, inserindo o discente na realidade e permitindo construir uma teia de conhecimento promovendo o processo de ensino-aprendizagem de maneira eficaz e eficiente. Esse trabalho tem por objetivo mostrar a importância da vivência prática, na aula de campo, com os discentes pertencentes ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), da Escola Ferreira Itajubá, com relação à compreensão do espaço geográfico do município de Ceará-Mirim. A opção por esta pesquisa, diz respeito à importância do docente promover mecanismos didáticos, que possibilitem o discente conhecer, tocar, viver e sentir a realidade do conhecimento teórico aprendido dentro da sala de aula. Além disso, é necessário enaltecer o PIBID, como forma de promoção deste aspecto didático em que consegue juntamente com o espaço escolar e seus componentes promoverem a abertura deste espaço de vivência de grande importância para a formação e compreensão do discente.  A pesquisa se desenvolve em torno do projeto “Conhecendo e vivendo o espaço geográfico”, que é desenvolvida pelos os bolsistas do PIBID na referida escola pública estadual. O projeto consiste em entender e conhecer o espaço geográfico de um determinado município do Rio Grande do Norte e a opção pela a cidade de Ceará – Mirim é de cunho informacional, pois os discentes desconheciam sua existência e importância para o desenvolvimento histórico e econômico do Rio Grande do Norte. O projeto “Conhecendo e Vivendo o espaço geográfico” foi desenvolvido na Escola Estadual Ferreira Itajubá, um espaço escolar de grande importância para o bairro de Neópolis, com relação a sua qualidade de ensino, bem como para abertura do espaço escolar para projetos como o PIBID. A pesquisa se desenvolve no âmbito da disciplina de geografia, tendo como público-alvo os discentes do 1° ano do ensino médio, sendo os conteúdos de espaço geográfico, cartografia e regionalização como principais arcabouços para o desenvolvimento teórico da turma.


Palavras-chave


Espaço Geográfico, PIBID, Projeto, Conhecimento vivido, Aula de Campo .

Referências


BURCHARD, C. P.; SARTORI, J. Formação de professores de ciências: refletindo sobre as ações do PIBID na escola. 2º Seminário sobre Interação Universidade/Escola. 2º Seminário sobre Impactos de Políticas Educacionais nas Redes Escolares. 31 ago., 11 a 03.set./11 - UFSM - Santa Maria – RS.

CALLAI, Helena Copetti. Aprendendo a ler o mundo: a geografia nos anos iniciais do ensino fundamental. Cad. Cedes, Campinas, vol. 25, n. 66, p. 227-247, maio/ago. 2005 Disponível em http://www.cedes.unicamp.br Acessado em 20 de julho de 2010.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia - saberes necessários a prática educativa, Paz e Terra, 1996.

PASSONI, L. C.; VEGA, M. R.; GIACOMINI, R.; BARRETO, A. M. P.; SOARES, J. dos S. C.; CRESPO, L. C.; NEY, M. R. G. Relatos de Experiências do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência no Curso de Licenciatura em Química da Universidade Estadual do Norte Fluminense. Química Nova na Escola. Vol. 34, N° 4, p. 201-209, 2012.

SALES, Marcea Andrade. Estudos em Geografia: um desafio para licenciando em Pedagogia. Terra Livre. Presidente Prudente. Ano 23, v,1 n.28. p. 149-162 jan-jun/2007

SILVA, Ana Maria Radaelli da. Trabalho de Campo: prática andante de fazer Geografia. GEOUERJ: UERJ, Rio de Janeiro, nº 11, p. 61-74, 1/2002.




DOI: https://doi.org/10.15628/geoconexoes.2018.6973

Apontamentos

  • Não há apontamentos.