CORPO, ARTE E CONHECIMENTO: UMA TRAMA DE SENTIDOS NA FILOSOFIA DE MERLEAU-PONTY

Adriana Maria Da Silva, Miguel Angel De Barrenechea

Resumo


O objetivo central desse trabalho é analisar as reflexões elaboradas por Merleau-Ponty sobre a restituição do aspecto sensível na construção do conhecimento, em que o filósofo, em nossa ótica, atribui ao corpo um estatuto educativo. Por esse caminho, a experiência artística expressa a possibilidade de restabelecer o vínculo incindível entre corpo e pensamento. A obra de arte é emblemática dos aspectos imagético, inventivo e poético da condição corpórea e, nas análises de Merleau-Ponty, ela possibilita ao corpo o resgate da sua densidade e da sua ressonância nos modos de compreender o mundo, diferindo-se do pensamento racionalista. Por conseguinte, buscamos na atividade artística outro meio de pensar a educação, destacando que essa significação recusa os pragmatismos e utilitarismos, expressos comumente na realidade educacional da atualidade, uma vez que esta se apoia apenas no entendimento e não na experiência do conhecimento. Finalmente, a educação, inspirada na filosofia de Merleau-Ponty, deve ser compreendida enquanto uma trama de sentidos, em que não há separação entre corpo e pensamento, portanto, enquanto uma experiência artística. 


Palavras-chave


Corpo, arte, conhecimento, Merleau-Ponty

Texto completo:

PDF

Referências


DESCARTES, René. Regras para a direção do espírito. Lisboa: Estampa, 1971.

CORBIN, A., COURTINE, J. J., VIGARELLO, G. (Org.). História do corpo: da renascença às luzes. Petrópolis: Vozes, v.1, 2008a.

CORBIN, A., COURTINE, J. J., VIGARELLO, G. (Org.). História do corpo: as mutações do olhar. O Século XX. Petrópolis: Vozes, v.3, 2008b.

FONTES FILHO, Osvaldo. Merleau-Ponty na trama da experiência sensível. São Paulo: Editora Fap-Unifesp, 2012.

MAFFESOLI, Michel. Elogio da razão sensível. Tradução de Albert Christophe Migueis Stuckubruck. Petrópolis: Vozes, 1998.

MERLEAU-PONTY, M. Signes. Paris: Gallimard, 2008. (Coleção Folio Essais).

______. O visível e o invisível. Tradução José Arthur Gianotti e Armando Mora de Oliveira. São Paulo: Perspectiva, 2009.

______. Fenomenologia da percepção. Tradução Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 4. ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011. (Biblioteca do Pensamento Moderno).

______. A prosa do mundo. Tradução Paulo Neves. São Paulo: Cosac Naify, 2012. (Coleção Cosac Naify Portátil).

______. O olho e o espírito. São Paulo: Cosac Naify, 2013. (Coleção Cosac Naif Portátil).

NÓBREGA, Terezinha Petrucia da. Merleau-Ponty: o corpo como obra de arte. Princípios, Natal, UFRN, v. 7, n. 8, p. 95-108, jan./dez. 2000.

______. O olhar, o corpo, a arte: uma narrativa fenomenológica. In: NÓBREGA, T. P. (Org.). Escritos sobre o corpo diálogos entre arte ciência filosofia e educação. Natal: Editora da UFRN, p. 19-31. 2009.

______. Uma fenomenologia do corpo. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2010. (Coleção Contextos da Ciência).




DOI: https://doi.org/10.15628/dialektike.2015.3732

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
';



Direitos autorais 2016 Dialektiké