FORMAÇÃO TÉCNICA EM PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES EM SAÚDE NA ESCOLA DE SAÚDE DA UFRN

Mércia Maria de Santi Estácio, Andréa Câmara Viana Venâncio Aguiar, Bianca Nunes Guedes do Amaral Rocha, Flávio César Bezerra da Silva

Resumo


Este texto apresenta o Curso Técnico em Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (TPICS), oferecido pela Escola de Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (ESUFRN), com a finalidade de analisar os objetivos propostos no seu Projeto Pedagógico, descrevendo como os mesmos estão sendo alcançados ao longo da sua trajetória. As terapias alternativas e complementares vêm sendo gradativamente inseridas no Sistema Único de Saúde, assim, emerge a necessidade de preparar o profissional técnico para atuar com um perfil voltado para terapêuticas mais acessíveis à população que surtam efeitos benéficos sem a exigência de utilizar recursos dispendiosos ao sistema de saúde. O curso TPICS encontra-se na sua sexta turma de alunos, e já formou 96 técnicos desde agosto de 2010. Durante a formação, os alunos desenvolvem, entre outras competências, a noção de corporeidade no saber e fazer profissional para poder lidar com o holismo tão propagado nas políticas de saúde do Brasil, sendo estimulados a protagonizarem o processo de ensino e aprendizagem, estabelecendo uma relação crítica e progressiva ao longo do curso. A avaliação se dá de forma processual, dialógica e comprometida com o desenvolvimento pleno do aluno, nas dimensões humana, cognitiva, política, filosófica e ética. Contudo, observa-se que há a oferta de uma formação sólida considerando os princípios norteadores do Projeto Pedagógico do Curso a partir do pluralismo de ideias e concepções pedagógicas, agregando questões técnicas à formação crítica e humanista, fortalecendo a promoção da saúde através de abordagens integrais de cunho preventivista.


Palavras-chave


Terapias Complementares; Medicina Integrativa; Educação Profissionalizante; Educação Baseada em Competências.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, A. C. V. V. Corporeidade e yoga: o transcender da educação para além do ego. Dissertaçao de mestrado. Programa de pós-graduação em Educação – UFRN, 2000.

ANTUNES, F. Conversa com dor. Rotary Club de Castelo Branco. Distrito 1960, 2002. Disponível em: < http://www.rotarycb.org/rotary/palestras/palestra_020917.html>. Acesso em: 26 set. 2008.

BARBOSA MA. A utilização de terapias alternativas por enfermeiros brasileiros. [tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem; 1994.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria-Executiva. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 687, de 30 de março de 2006. Dispõe sobre a Política Nacional de Promoção da Saúde no Sistema Único de Saúde. Brasília, 2006.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS – PNPIC-SUS. Brasília: Ministério da Saúde, 2006a.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. ATA da Centésima Sexagésima Segunda Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Saúde – CNS. Brasília: Ministério da Saúde, 2006b.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política nacional de promoção da saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2006c.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 971, de 03 de maio de 2006. Dispõe sobre a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União, Brasília, 4 maio 2006d.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC-SUS. Brasília; 2006e.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS - PNPIC-SUS atitude de ampliação de acesso. Brasília; 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Práticas integrativas e complementares em saúde: uma realidade no SUS. Revista brasileira saúde da família. Brasília; 2008.

DAL MAS, W.D. Auriculoterapia: auriculomedicina na doutrina brasileira. Rio de Janeiro: Roca, 2005.

GEORGE JB. et al Teorias de Enfermagem. Porto Alegre: Artes Médicas; 1993.

GHAROTE, M. L. Técnicas de yoga. São Paulo: Phorte Editora, 2000.

GHAROTE, M. L. Yoga aplicada: da teoria à prática. São Paulo: Phorte Editora, 1996.

GOLA, O. J. Mapa auricular. São Paulo, 2002. Disponível em: . Acesso em: 26 set. 2008.

HECKER, H.U. et al. Prática de Acupuntura. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

VILLAÇA, N., GÓES, F. Em nome do corpo. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

INADA, T. Acupuntura e Moxabustão: uma coletânea e revisão sobre o tratamento de “cérvico/dorso/lombo/sacro/ciatalgia”. São Paulo: Ícone, 2006.

KAGOTANI, Tsuguo. Shiatsu na estética. São Paulo: Andrei, 2004, 277p.

RIBEIRO, António Pinto. Por exemplo a cadeira: ensaios sobre as artes do corpo. Lisboa: Edições Cotovia, 1997.

ROSS, J. Combinações dos pontos de acupuntura: a chave para o êxito clínico. São Paulo: Roca, 2003.

SALLES, LF; FERREIRA, MZJ; SILVA MJP, TURRINI RNT. Terapias Complementares na Enfermagem: levantamento bibliográfico. Revista Nursing 2007; 105(9): 94-98.

SILVA, MJP; BENKO, MA. O uso das terapias alternativas por enfermeiros docentes. Rev. bras. enferm;51(3):457-68, jul.-set. 1998. tab.

VACCHIANO, Aridinéia. SHIATSU FACIAL: a arte do rejuvenescimento. 6ed. São Paulo: Ground, 2008, 177p.




DOI: https://doi.org/10.15628/rbept.2015.3344

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

RBEPTISSN 2447-1801 (Eletrônico)

Indexadores: Latindex - DOAJIresie - Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa - BBE – Bibliografia Brasileira de Educação – (Brasil-Cibec/Inep/MEC)  - ERIH PLUS – European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences - Sistema eletrônico de editoração de revistas do IBICT - OasisBr - Portal de Periódicos CAPES/MEC - Diadorim - Sumários.org - LivRe - Catálogo de Periódicos de Livre Acesso - CrossRef -  Google Scholar - WorldCat - Airiti Library - MIAR - Information Matrix for the Analysis of Journals - International Institute of Organized Research (I2OR) - LatinREV - Red Latinoamericana de Revistas Académicas en Ciencias Sociales y Humanidades - Publons - Citefactor