OS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA INDICADOS PELO PNLD 2015: A HISTÓRIA DA CIÊNCIA EMPREGADA NA TEMÁTICA “QUANTIDADE DE MATÉRIA” E SUA UNIDADE, MOL

Sandra Oliveira Franco-Patrocinio, Ivoni Freitas-Reis

Resumo


É comum na literatura da área de ensino de química a discussão da importância que o livro didático apresenta nas salas de aula. Nesse sentido, o presente artigo analisa os livros didáticos de química brasileiros indicados pelo Plano Nacional do Livro Didático (PNLD). Procuramos investigar como a história da ciência é empegada nessas obras, especificamente na temática quantidade de matéria. Discutimos a importância de incluir a história da ciência nos livros didáticos de forma que o educando compreenda a natureza do conhecimento científico. Para tal pesquisa, nos alicerçamos nas categorias criadas por Laurinda Leite (2002) e adaptadas por Vidal (2009) e também nos resultados encontrados anteriormente por Rogado (2000). Podemos perceber que é constante a busca dos órgãos competentes governamentais pela melhoria da qualidade dos livros didáticos distribuídos nas escolas públicas brasileiras, entretanto, mesmo nenhuma das obras tendo deixado de tratar do assunto, os livros didáticos apresentam um debate historiográfico sobre a temática bastante tímido, sendo a história da ciência apresentada a partir de uma abordagem histórica parcial, considerada na maioria das vezes em recortes do texto principal e figuras dos pesquisadores.


Palavras-chave


livro didático; história da ciência; quantidade de matéria; ensino médio; ensino de química

Texto completo:

PDF

Referências


ABRANTES, A. F. P., VIEIRA, C. S. G., SILVA, M. F. P. Estudo sobre "Quantidade de substância" e Mole. Boletim Sociedade Portuguesa de Química, v. 90, p. 65-68, 2003.

ALLCHIN, D. Scientific myth-conceptions. Science Education, v. 87, p. 329-351, 2003.

ANTLER, M., MARION, A. L. M., COSTA, D. R. M., NUNES, J. G., ZUCOLOTTO, A. M., GUERREIRO, L. M. S., PIZZATO, M. C. “Conhecendo o Mol”: uma proposta didática para o Ensino de Química. In: 33 º EDEQ, 2013. Disponível em: https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/edeq/article/view/2670/2248. Acessado em: 12 jun 2015.

ANTUNES, M. T. Ser Protagonista - Química. São Paulo: Edições SM, v. 1, 2013.

BIEHL, J. V., BAYER, A. A escolha do livro didático de matemática. Em: 5º Encontro Gaúcho de Educação Matemática, Ijuí, 2009. Disponível em: http://www.projetos.unijui.edu.br/matematica/cd_egem/fscommand/CC/CC_43.pdf. Acessado em 12 jun 2015.

BIZZO, N. M. V. História da ciência e ensino: onde terminam os paralelos possíveis? Em Aberto, v. 11, n. 55, p. 29-35, 1992.

BRASIL. Guia de livros didáticos PNLD 2015: química ensino médio. Brasília: Secretaria de Educação Básica, 2014.

BRASIL. Decreto-Lei n.º 1.006, de 30 de dezembro de 1938. Estabelece as condições de produção, importação e utilização do livro didático. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 1938. Disponível em: . Acessado em: 10 jun 2015.

CIARDI, M. Amedeo Avogadro - Una politica per la scienza. Roma: Carocci, 2006.

COLAGRANDE, E. A. Desenvolvimento de um jogo didático virtual para o aprendizado do conceito de mol. São Paulo, 2008. Dissertação de mestrado - Universidade de São Paulo, 2008.

DIERKS, W. Teaching the mole. European Journal of Science Education, v. 3, n.2, p. 145-148, 1981.

ECHEVERRÍA, A. R., MELLO, I. C., GAUCHE, R. Livro didático: análise e utilização no ensino de química. Em W. L. P. Santos e O. A. Maldaner (Orgs.), Ensino de Química em Foco, Ijuí: Unijuí, p. 263-286, 2010.

FREITAG, B., MOTTA, V. R., COSTA, W. F. O livro didático em questão. 3ª Ed. São Paulo: Cortez, 1997.

FURIÓ, C., AZCONA, R., GUISASOLA, J. Revisión de investigaciones sobre la enseñanza-aprendizaje de los conceptos cantidad de sustância y mol. Enseñanza de las Ciencias, v. 20, n.2, p. 229-242, 2002.

GÉRARD, F. M., ROEGIERS, X. Concevoir et évaluer des manuels scolaires. Bruxelas: De Boeck-Wesmâel, 1998.

KOSMINSKY, L., GIORDAN, M. Visões de Ciências e sobre Cientista Entre Estudantes do Ensino Médio. Química Nova na Escola, v. 15, p. 11-18, 2002.

LEITE, L. History of science in science education: development and validation of a checklist for analysing the historical content of science textbooks. Science & Education, v. 11, n. 4, p. 333-359, 2002.

LOURENÇO, I. M. B., MARCONDES, M. E. R. Um plano de ensino para mol. Química Nova na Escola, v. 18, p. 22-25, 2003.

MAIA, J. O., SÁ, L. P., MASSENA, E. P., WARTHA, E. J. O livro didático de química nas concepções de professores do ensino médio da região sul da Bahia. Química Nova na Escola, v. 33, n.2, p. 115-124, 2011.

MARTINS, L. A., BRITO, A. P. O. P. M. A História da Ciência e o ensino de genética e evolução no nível médio: um estudo de caso. Em: C. C. Silva (Org.), Estudos de História e Filosofia das Ciências: subsídios para aplicação no ensino, São Paulo: Editora Livraria da Física, p. 245-264, 2006.

MARTINS, R. A. Que Tipo de História da Ciência Esperamos Ter nas Próximas Décadas? Episteme, v. 10, p. 39-56, 2000.

MARTINS, R. A. Como não escrever sobre história da física: um manifesto historiográfico. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 33, n. 1, p. 113-129, 2001.

MARTINS, L. A.P. A História da Ciência e o Ensino de Biologia. Ciência e Ensino, v. 7, p. 18-21, 1998.

MATTHEWS, M. R. História, Filosofia e Ensino de Ciências: A tendência atual de reaproximação. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 12, n.3, p. 164-214, 1995.

MÓL, G. S., FERREIRA, G. A. L., SILVA, R. R. da, LARANJA, H. F. Constante de Avogadro. Química Nova na Escola, v. 3, p. 32-33, 1996.

MORTIMER, E. F., MACHADO, A. H. Química. São Paulo: Scipione, v. 1, 2013.

OKI, M. C. M. Controvérsias sobre o atomismo no século XIX. Quim. Nova, v. 32, n.4, p. 1072-1082, 2009.

PITANGA, A. F., SANTOS, H. B., GUEDES, J. T., FERREIRA, W. M., SANTOS, L. D. História da Ciência nos Livros Didáticos de Química: Eletroquímica como Objeto de Investigação. Química Nova na Escola, v. 1, p. 11-17, 2014.

REIS, M. Química. São Paulo: Editora Ática, v. 1, 2013.

ROGADO, J. Quantidade de matéria e mol; concepções de ensino e aprendizagem. Piracicaba, 2000. Dissertação de Mestrado - Universidade Metodista de Piracicaba, 2000.

ROJO, R., BATISTA, A.A.G. Livro didático de língua portuguesa, letramento e cultura escrita. São Paulo: Mercado das Letras, 2003.

SANTOS, W. L. P. dos, MÓL, G. S. Química Cidadã. São Paulo: AJS, v. 2, 2013.

SELLES, E. S.; FERREIRA, M. S. Influências Histórico-culturais nas representações sobre as estações do ano em livros didáticos de ciências. Ciência & Educação, v. 10, n. 1, p. 101-110, 2004.

SILVA, J. L. P. B., OKI, M. V. M., DOTTO, R. R., MORADILLO, E. F. Ensino-Aprendizagem do conceito quantidade de matéria. In: XIV Encontro Nacional de Ensino de Química. Paraná, 2008. Disponível em: . Acesso em 09 jan 2016.

SILVA, C. C.; PIMENTEL A. C. Uma análise da história da eletricidade presente em livros didáticos: o caso de Benjamin Franklin. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 25, n.2, p. 141-159, 2008.

SILVA, C.F., SOUSA, P.A.A., OLIVEIRA, L.B. A quantidade de matéria: Uma questão além do conceito. In: 11º Simpósio Brasileiro de Educação Química. Teresina, 2013. Disponível em: . Acesso em 09 jan 2016.

SOARES, M. A. C. P. A grandeza “quantidade de matéria” e sua unidade “mol”: Uma Proposta de Abordagem Histórica no Processo de Ensino-Aprendizagem. Maringá, 2006. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Maringá, 2006.

SOARES, M. B. Novas práticas de leitura e escrita: letramento na Cibercultura. Educação e Sociedade, v. 23, n. 81, p. 141-160, 2002.

VIDAL, P. H. O. A História da Ciência nos Livros Didáticos de Química do PNLEM 2007. São Paulo, 2009. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo, 2009.

VIDAL, P. H. O., PORTO, P. A. A História da Ciência nos Livros Didáticos de Química do PNLEM 2007. Ciência & Educação, v. 18, n. 2, p. 291-308, 2012.

ZANON, D. A. V., MACHADO, A. T. A visão do cotidiano de um cientista retratada por estudantes iniciantes de licenciatura em Química. Revista Ciência e Cognição, v. 18, p. 46-56, 2013.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2017.4676



 

HOLOS IN THE WORLD