PERCEPÇÃO AMBIENTAL DOS VISITANTES DO PARQUE MUNICIPAL DOM NIVALDO MONTE EM NATAL/RN

Maria Agripina Rebouças, José Américo Grilo, Carla Lenes Araújo

Resumo


O presente artigo apresenta a percepção ambiental dos visitantes do Parque Dom Nivaldo Monte, também conhecido Parque da Cidade, em Natal/RN. A metodologia foi determinada por entrevistas semiestruturadas com auxílio de formulários aplicados a 50 visitantes do parque, em dias e horários diversificados no período de outubro a dezembro de 2012. Constatou-se que os visitantes do Parque Dom Nivaldo Monte utilizam o espaço para desenvolver atividades físicas ou para simples admiração paisagística, além de considerá-lo um espaço de lazer para a família e um ambiente que transmite paz e qualidade de vida. Independentemente do nível de escolaridade os visitantes do parque, apresentaram considerável grau de valorização do espaço, por demonstrarem interesse em conservar os recursos naturais para garantir a sustentabilidade do local. Constatou-se também que é de interesse dos visitantes a participação em projetos de Educação Ambiental nas dependências do parque, a fim de serem envolvidos em ações de conservação das espécies endêmicas de fauna e flora, além de salvaguardar as nascentes de corpos d’água nos limites do parque, e anda, falta de comprometimento das autoridades para assegurar a integridade física do parque.

Palavras-chave


Percepção ambiental. Educação Ambiental. Unidade de Conservação. Parque

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Lei9.985/2000, Art. 2º, I.Disponívelem:. Acesso em: 14 fev. 2013.

BRASIL. Unidades de Conservação. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2013.

CASES, Maria Olatz (Org.). Amazônia: Gestão de unidades de conservação: compartilhando uma experiência de capacitação. Brasília: Wwf-brasil e Ipê, 2012. 393 p.

CASTRO, Paulo Venturele de Paiva (Cord.). Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte: Um convite à preservação ambiental. Natal: SEMURB, 2008. 132 p.

EMBAIXADA AMERICANA. Parques Nacionais. Disponível em: . Acesso em: 09 ago. 2013.

FAGGIONATO, S. Percepção Ambiental. http://educar.sc.usp.br. > Acesso em 14 de dez 2012.

FERNANDES et al. 2004.

GIL, Antonio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4ª São Paulo: Atlas S.a, 2002.

GUZZO, Perci. Áreas verdes urbanas. Disponível em m: Acesso em 14 de dez. 2013.

INSTITUTO CHICO MENDES. Parque Nacional de Itatiaia. Disponível em: . Acesso em: 08 ago.2013.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do Conhecimento: Pesquisa Qualitativa em Saúde. 10ª São Paulo: Hucitec, 2007.

NATAL. Semurb (Org.). Acervo. 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2013

ODUM, Eugene P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.50p.

OKAMOTO, J. Percepção Ambiental e Comportamento. São Paulo: Plêiade, 200p.,1996.

RN. IDEMA (Org.). Unidades de Conservação: Parque Estadual Dunas do Natal. 2013.Disponível em: . Acesso em: 14 fev. 2014.

RN. SEMURB (Org.). Galeria de fotos. 2008. Disponível em:. Acesso em: 12 mar. 2013.

SILVA, Vicente Gomes da. 3. ed. Belo Horizonte: Fórum, 2006. 560 p.

TUAN, Y Fu. Topofilia - Um estudo da Percepção, Atitudes e Valores do Meio Ambiente. Ed. Difel. São Paulo, 1980.4p.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Diagnóstico ambiental da ZPA- 1. Natal: UFRN, 2008. 27 p.

VERGARA, S. C. Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2010.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2015.2240



 

HOLOS IN THE WORLD