DESAFIOS EMERGENTES NA AÇÃO EDUCATIVO-AMBIENTAL: UMA EXPERIÊNCIA EM CENTROS DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CURITIBA – PR

Marília Andrade Torales Campos, Andrea Macedônio de Carvalho

Resumo


A inserção da Educação Ambiental nos cenários educativo-institucionais aponta para a criação de alternativas necessárias frente às evidências de uma crise ambiental. Com esta perspectiva, a análise da práxis dos docentes é importante para avaliar as propostas educativas desenvolvidas em Centros de Educação Infantil, tomando como referência o ponto de vista e a ação dos professores. O objetivo deste trabalho foi a elaboração de um conjunto de estratégias de intervenção estimuladoras de um diálogo efetivo entre as acadêmicas do curso de Pedagogia e a realidade profissional que as professoras vivenciam em um Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) de Curitiba, através da análise de práticas e discursos das docentes no que se refere à temática educativo-ambiental. A compreensão da proposta pedagógica da escola foi o ponto de partida para estruturar nossa proposta de intervenção e o estabelecimento de diálogo com as profissionais que atuam no CMEI. Através de entrevistas e aplicação de questionários a dez professoras, foi possível identificar as características das prática de Educação Ambiental elaboradas pelas professoras e educadoras. As professoras se manifestaram positivamente sobre a necessidade de que iniciativas como essa sejam repetidas nos próximos anos e que o número de CMEIs participantes fosse ampliado. Acredita-se que os resultados obtidos por meio desta pesquisa possam contribuir para repensar o processo de inserção da Educação Ambiental no contexto educativo institucional e para a elaboração de políticas públicas coerentes com as necessidades manifestadas pelas profissionais que participaram do projeto.

Palavras-chave


Educação; educação ambiental; educação infantil; Curitiba

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Decreto-lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999.

CARTEA, P. A. M. Las barreras sociopolíticas para la práctica de uma educacíon ambiental radical em lãs sociedades avanzadas: lo que podemos aprender de la basura. In: Anais do V Congresso Iberoamericano de Educação Ambiental, 5º ed., Joinville, 2006.

FRABBONI, F. La educación del niño de cero a seis años. Madrid: Cincel, 1996.

GARCÍA, J. E. Educacíon Ambiental, constructivismo y complejidad. Montequinto-Sevilla: Díada Editora S.L, 2004.

LAYRARGUES, P. Prefácio. In: SANTOS, J. E.; SATO, M. A contribuição da Educação Ambiental à Esperança de Pandora. São Carlos: Rima, pp. 13-18, 2001.

LAYARGUES, P. O cinismo da reciclagem: o significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental. In: LOUREIRO, F.; LAYARGUES, P.; CASTRO, R. (Orgs.). Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2002.

LIMA, G. F. C. Educação, Emancipação e Sustentabilidade: em defesa de uma pedagogia libertadora para a Educação Ambiental. In: LAYRARGUES, P. (Coord.) Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

MORALES, A.G.; KNECHTEL, M.R. A universidade e a formação em educação ambiental na perspectiva multicultural: considerações e possibilidades. In: MORALES, A.G. et al. Educação ambiental e multiculturalismo. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2012.

PARRA ORTIZ, J. M. La Educación Infantil: su dimensión didática y organizativa. Madrid: Grupo Editorial Universitario, 2005.

Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (1998, p. 27). Disponível em: . Acesso em: 01/04/2012.

Um Pouco da História da Educação Ambiental. Disponível em: Acesso em: 03/11/2011.




DOI: https://doi.org/10.15628/holos.2015.1698



 

HOLOS IN THE WORLD