O projeto

O projeto de criação do portal de cultura potiguar nasceu da atuação dos professores do Campus Santa Cruz, voltada para a discussão em torno da cultura, da memória e da identidade dessa cidade e da região do Trairi, a partir de um projeto piloto desenvolvido no segundo semestre de 2009 e primeiro semestre de 2010 que articulava ensino, pesquisa e extensão através da implantação de um mapeamento cultural da região do Trairi. Contando com o apoio da PROEX/IFRN, o projeto foi apresentado com o título de “Memória e identidade: Mapeamento Cultural do Trairi”.

A ideia era de registrar em vídeo o depoimento de pessoas que atuavam com as mais diversas manifestações artísticas na região do Trairi e disponibilizar partes do material na internet para ser utilizado posteriormente como suporte para pesquisa e para ensino de disciplinas como História, Arte, Sociologia, Geografia, Filosofia, Língua Portuguesa, Literatura.

Posteriormente, o projeto ganhou uma dimensão maior.

Percebeu-se que o IFRN tem um papel fundamental no trabalho de identificar e registrar aspectos da obra e da vida dos artistas potiguares espalhados pelos quatro cantos do Estado.

A partir disso, o projeto de mapeamento cultural do Trairi passou a se chamar “portal da cultura potiguar” e tem como objetivo mapear, registrar e divulgar depoimentos de artistas populares ou eruditos, a fim de se montar um arquivo audiovisual que possa contribuir para a preservação da memória cultural do Estado e fornecer recursos para que alunos da rede pública e particular de ensino possam conhecer os mestres da cultura do Rio Grande do Norte. Além, é claro, de contribuir para a divulgação do trabalho desses artistas através do uso de diversas mídias virtuais em articulação com a atividade de pesquisa e ensino realizada no IFRN.